Para entender os traços culturais do Brasil é fundamental beber direto na fonte da ancestralidade. Acessar os costumes, crenças, valores, visões de mundo e toda forma de ação e manifestação cultural do povo brasileiro é também fazer, obrigatoriamente, uma conexão direta com o continente africano. Foi com esse objetivo que o grupo Odum Orixás e a Fundação Educacional Caio Martins - FUCAM realizaram a ação Raízes de Buriti - Conexão e Ancestralidade em Quilombos no Sertão Mineiro no mês de novembro em São Francisco, Norte de Minas Gerais.
Alunos do Polo de Educação Integral da FUCAM em São Francisco participam da Oficina de Dança Afro brasileira.Linguagem corporal, dança, tradições africanas, plantas medicinais, beleza, palestras e espetáculo de teatro e dança foram as atividades que os alunos do Polo de Educação Integral da FUCAM e toda população do município de São Francisco puderam experenciar por meio de oficinas, palestras e apresentações culturais que transformaram o Centro Educacional da FUCAM em um ambiente pulsante, acompanhado de sons que ecoaram a força da cultura africana.

Alunos do Polo de Educação Integral da FUCAM em São Francisco durante a Oficina de Linguagem Corporal.Fundada em 2001 em Belo Horizonte (MG), a Associação Cultural Odum Orixás trabalha a intervenção cultural como forma de resgate e afirmação da cultura africana. Além disso realiza pesquisas sobre diferentes manifestações da cultura negra. Foi com toda essa bagagem de conhecimento que 15 dos seus integrantes viajaram até o Norte de Minas para compartilhar conhecimentos.
Apresentação de teatro contou a história do povo africano e sua vinda ao Brasil aos jovens de São Francisco (MG)

“É fundamental reafirmar nossa identidade e nossas africanidades, descendência de um povo com capacidade de construir através do saber, das lutas e da resistência. Quando colocamos a criança e o jovem em contato com ancestralidade e oralidade, tornamos eles protagonistas da sua história, buscando assim uma sociedade menos perversa diante as diferenças”, afirma Madu Santos, arte educadora na Odum Orixás.
 
Mais de 200 jovens que participaram das atividades oferecidas gratuitamente nas salas e salões da instuição no dia 17 de Novembro. Entre uma descoberta e outra, a curiosidade e os olhos atentos era a cena mais comum de se observar durante as atividades.
Alunos interagem com as oficinas enquanto aprendem mais sobre a cultura Afro brasileira.
“O grupo Odum Orixás despertou nos jovens do Polo de Educação Integral da FUCAM a curiosidade pela cultura africana. Muitos relataram que não tinham conhecimento sobre o que foi apresentado a eles. Puderam também aprofundar ainda mais na importância e na história do povo africano durante a visita ao Quilombo Buriti do Meio e o Quilombo Jardim da Prata”, relata a orientadora educacional do Pólo da FUCAM de São Francisco (MG), Hélida Soares dos Reis.

 

Mergulho na história viva dos Quilombos

Através de uma ação do Eixo Cultura da FUCAM, promovendo a interação direta no terriório, no dia 18 de Novembro foi a vez levar os alunos do Polo de Educação Integral para vivenciarem a Comunidade Quilombo Buriti do Meio que tem mais de 200 anos de existência. Localizado no distrito de Vila do Morro, há 30km de São Francisco (MG), Buriti do Meio é um dos oito quilombos pertencentes ao município. Por lá vivem 180 famílias que sobrevivem em meio há um cenário de semiárido onde a falta d'água é uma realidade e a desnutrição infantil também. Em períodos chuvosos, os moradores cultivam principalmente mandioca, feijão de corda, andu e fava.


Em 2004 Buriti do Meio foi certificada pela Fundação Cultural Palmares. E em 2005 foi aberto o processo no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA para titulação das terras, o que até então não aconteceu. Mesmo em meio há tantas dificuldades, a resistência continua e as manifestações culturais como as festas de São Geraldo, Nossa Senhora Aparecida, as folias de reis e de Bom Jesus e as danças da coruja, do carneiro, maculelê e o lundum, são instrumentos de preservação das raízes e da cultura quilombola no local.


Durante todo o dia os alunos do Polo da FUCAM e diversos e diversas estandes de escolas públicas da região participaram da programação especial no quilombo, com
atividades oferecidas pelo Odum Orixás, apresentações culturais e jogos, todos integrando a Semana da Consciência Negra.

Alunos de várias escolas públicas participam de gincana no Quilombo Buriti do Meio

 

Oficinas com jovens moradores do Quilombo Buriti do Meio.

Veja alguns momentos das atividades realizadas no Centro Educacional e no Quilombo Buriti do Meio:

Oficina de cabelo realizada como instrumento de valorização da beleza negra.

 

Jovens conhecem e experimentam instrumentos musicais de percussão.

 

Olhares atentos e celulares em mãos para registrar o espetáculo de teatro.

Alunas realizam as dinâmicas durante a Oficina de Linguagem Teatral.

Auditório repleto para ver a apresentação de teatro do grupo Odum Orixás.

 

Moradores e estudantes participam das atividades no Quilombo Buriti do Meio

 

Oficina de Plantas Medicinais redescobre o valor da natureza do entorno.

 

Moradores interagem e assistem as oficinas e apresentações no Quilombo Buriti do Meio.

Fotos e texto: Michelle Parron
ASCOM FUCAM