No último sábado (17), os servidores, ex-servidores, professores, parceiros, alunos do Curso Técnico em Agropecuária e a comunidade, realizaram um mutirão voluntário de limpeza no Centro Educacional do Carinhanha (CEC/FUCAM) e no Centro Educacional de São Francisco (CESF/FUCAM). Mesmo com o calor de mais de 30 graus que fazia em Juvenília e São Francisco, os colaboradores se empenharam para que o ambiente entorno dos rios e da Fundação Educacional Caio Martins fossem limpos e preservados.

MULHERES PINTANDO

As tarefas que integraram o mutirão de Juvenília foram o plantio de sementes e mudas, confecção de cercas, podas de árvores, limpeza do campo de futebol do Centro e às margens do rio Carinhanha. Dedicados em preservar o patrimônio público e o ambiente educativo, cerca de 90 voluntários chegaram ao CEC às 07h e pararam de trabalhar somente no horário do almoço, mostrando foco e determinação na conclusão das atividades.

Leonice Soares Severo, 35 anos, conta sobre a importância da manutenção do espaço público: “zelar pelo patrimônio é de nossa obrigação enquanto cidadãos, principalmente para nós, enquanto servidores. Vejo o Centro Educacional do Carinhanha como minha residência, por isso o cuidado deve ser especial”, contou a servidora pública.

TURMA TODA 2

Com a participação dos alunos do Curso Técnico em Agropecuária, também ocorreu no mutirão o plantio de mudas de árvores ao entorno do Centro Educacional. Felipe Mateus Oliveira de Souza, 20 anos, conta que a sua presença nas tarefas enquanto aluno do curso técnico é “manter bem o lugar e o conforto das pessoas que ali frequentam, além de contribuir para a preservação da natureza”, afirmou o jovem que está há 3 meses no curso.

Com a finalidade de preservar a Fundação para receber os alunos da Educação Integral no mês de abril, o Centro Educacional de São Francisco (CESF/FUCAM) também recebeu a ação coletiva envolvendo os servidores. O mutirão que aconteceu no início do mês de março, envolveu cerca de 18 pessoas que ajudaram a capinar o espaço do Centro. Eles fizeram limpeza na parte interna dos prédios, recolhimento de lixo, acertamento e limpeza das telhas, poda de plantas e calçamento da entrada principal do CESF.

Essas ações fazem com que o ambiente de trabalho e estudo seja agradável, o que incentiva os jovens a manterem um bom resultado nas aulas. É o que conta Juarez Ferreira da Silva que acredita que o mutirão é um método de fortalecer as relações. “O zelo pelo bem público é dever de todos, principalmente dos servidores responsáveis pela educação. Quando uma criança, um jovem, ou seja, um educando encontra os bens móveis e imóveis de um educandário bem preservado, a probabilidade desse educando cometer ato de vandalismo é menor”, contou o vice-coordenador do Centro Educacional de São Francisco.

Design sem nome

Texto: Gabi Coelho
Foto: Centro Educacional do Carinhanha/Centro Educacional de São Francisco