O coro da diversidade foi amplificado no último dia 1º de Maio em Esmeraldas (MG). O tradicional encontro dos ex-alunos da Fundação Educacional Caio Martins (FUCAM), comemorado todo ano no Centro Educacional de Esmeraldas (CEE), este ano ganhou um viés mais amplo ao tratar do trabalho social das pessoas que passaram por suas unidades ao longo dos 70 anos. Entre militantes da causa LGBTQIA (ver significado), de representantes da cultura afrobrasileira, indígena e do Norte de Minas Gerais, o evento reuniu mais de 1 mil pessoas no feriado do Dia do Trabalhador no município da Esmeraldas (MG), região metropolitana de Belo Horizonte.

Público da FUCAM comemora os 70 anos da instituição em Esmeraldas (MG) 

Fundamentais para a consolidação da história e da importância da FUCAM para os territórios, parte do trabalho social realizado pelos mais de 80 mil ex-alunos da instituição esteve representado no evento, que, além de ex-alunas e ex-alunos, recebeu a presença de servidoras e servidores, parceiras e parceiros, amigas e amigos, além de apoiadores da Fundação.

Entre os convidados, a comemoração dos 70 Anos da FUCAM teve a participação de João Lincon Almeida, representando a família do Coronel Manoel José de Almeida, fundador da instituição; do secretário executivo do Território Metropolitano, Ronaldo Manessés; do deputado estadual que no dia estava representando a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), André Quintão; do ex-secretário da Secretaria Estadual de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (SEDPAC), Nilmário Miranda; do diretor da Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG) e ex-aluno Edvalth Rodrigues Pereira; do diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Fundação Ezequiel Dias (Funed), Rodrigo Leite; do diretor do Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável (INSEA), Luciano Marcos; da ex-presidente da Fundação Helena Antipoff, Maria do Carmo Lara; do prefeito de Esmeraldas, Márcio Belém; da Superintendente Regional de Ensino de Januária e ex-aluna, Stela Aparecida de Abreu Santos; da liderança indígena, pré-candidata a vice-presidência da República e ex-aluna, Sônia Bone Guajajara; da coordenadora do projeto RONDON Minas, Monica Abranches e diversos outros parceiros que foram recebidos pela presidente da FUCAM Maria Tereza Lara e pelo vice-presidente e ex-aluno, Gildázio dos Santos.

 Parceiros e autoridades prestigiam os 70 Anos da FUCAM

"A celebração dos 70 anos da FUCAM foi um sucesso porque houve uma integração dos ex-alunos, dos servidores, dos professores e de toda equipe da FUCAM, afinal é uma celebração que está sendo construída há 70 anos com participação efetiva de todos", comemora a presidente da instituição Maria Tereza Lara sobre o empenho da equipe. A frente da gestão desde 2015, Maria Tereza atua para que o papel da Fundação seja efetivo e para que as políticas públicas sejam executadas em benefício da sociedade e para que as crianças e jovens atendidos pela FUCAM tenham seus direitos garantidos.

Maria Tereza Lara - Presidente da FUCAM 

Representando a ALMG, deputado estadual André Quintão, que entre 2015 e 2016 esteve como secretário da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (SEDESE) e presidiu o Conselho Curador da FUCAM, o que o proporcionou acompanhar de perto o trabalho da Fundação, destacou os avanços da atual gestão durante o evento. "Os servidores e alunos da FUCAM estão fazendo a Fundação cada vez melhor e cada vez mais forte no estado de Minas Gerais. São vocês que, dia a dia, atualizam e fazem fortalecer a missão e a história dos 70 anos da FUCAM", afirmou André que estava representando os 77 deputados e deputadas e o atual presidente da ALMG, Adalclever Lopes.

André Quintão - Deputado Estadual e representante da ALMG no evento 

Representando os coordenadores dos Centros Educacionais da FUCAM e responsável por levar a gastronomia e a cultura do Norte de Minas para a programação dos 70 Anos da FUCAM, a Coordenadora Regional e também responsável pela coordenação do Centro Educacional de Buritizeiro (CEB), Maria Alice Correa, comemora participar da gestão de um bom momento da Fundação. “Esse é um novo tempo da FUCAM e nós sempre batalhamos para que chegasse nesse momento. Está sendo uma experiência maravilhosa fazer parte da equipe e eu espero que as próximas gestões possam dar sequência e esse trabalho maravilhoso que tem ajudado muitas famílias que tem necessidade desse atendimento oferecido pela Fundação”, relata a coordenadora.

Maria Alice Correa - Coordenadora Regional dos Centros Educacionais da FUCAM 

O coordenador do Centro Educacional de Esmeraldas, Dedilmo Duque, que foi um dos responsáveis pela produção dos 70 Anos da FUCAM, reconhece o esforço e dedicação que toda a equipe dos Centros Educacionais da FUCAM fizeram para que o evento fosse realizado com ainda mais sucesso. "A equipe da FUCAM não mediu esforços para nos ajudar abrilhantar o 1° de Maio, que também marcou a comemoração dos 70 anos do Centro Educacional aqui de Esmeraldas, local onde nasceu a primeira unidade da FUCAM. Foram verdadeiros companheiros que fizeram toda a diferença", completa Dedilmo.
O coordenador Dedilmo Duque segura a imagem do escoteiro Caio Martins   
O vice-presidente da FUCAM, que também é ex-aluno, relembra a trajetória da Fundação com olhar de quem, como aluno, viu a Fundação passar por diversos momentos e que agora tem a oportunidade de transformar muitos sonhos em realidade, através do trabalho de gestão. Segundo Gildázio, são 70 anos de caminhada, de muita luta, de muito aprendizado. “Nós reestruturamos a instituição, reordenamos e agora é organizar os próximos 30 anos, estruturando novos projetos, trabalhando na perspectiva da inovação, da tecnologia e da sustentabilidade. Esse é o futuro da FUCAM. É uma instituição que vai ser referência nacional e internacional na témática da educação, tecnolologia, da inclusão social, da inovação social. Esse é o futuro dos próximos 30 anos para que a gente possa chegar em 2048 com uma caminhada de muito brilho", completa o vice-presidente.

Gildázio Santos - Vice-presidente da FUCAM

70 anos de história e os desafios de implantar um Novo Modelo de Atendimento

Vinculada a Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (SEDESE), a FUCAM chega aos seus 70 anos ressignificando o seu trabalho pelos municípios mineiros. Desde que mudou a sua forma de atendimento em 2015, adotando o Novo Modelo de Atendimento, a Fundação ampliou o seu públicou atendido e passou a oferecer serviços não só para crianças e adolescentes, mas também para jovens e adultos do estado.

A diretora de Educação e Assistência Social e uma das responsáveis pela elaboração do Novo Modelo de Atendimento da FUCAM, Elisane Santos, vê com entusiamos a nova forma de atuação da Fundação. Para ela, "essa mudança tem trazido para instituição uma nova perspectiva de atuação, não só para atender crianças e adolescentes, como também toda a comunidade, e tem se tornado um polo de articulação de várias políticas públicas". De acordo com a diretora um dos grandes desafios para o futuro é consolidar a nova forma de atuação e ampliar o rádio de abrangência da FUCAM para atender mais e melhor a população que realmente precisa dos serviços oferecidos pela instituição.
Elisane Santos - Diretora de Educação e Assistência

Para consolidação do Novo Modelo de Atendimento a parceria com as prefeituras dos municípios onde a FUCAM está inserida foi fundamental. A frente da gestão da prefeitura de Esmeraldas, a primeira cidade onde a Fundação se instalou em 1948, o prefeito Márcio Belem reconhece a importância que a FUCAM tem para a cidade. Para ele, os principios e objetivos da FUCAM fazem com que todos queiram abraçá - la como uma causa. "Eu conheci e convivi com o fundador da FUCAM, Coronel Almeida e sinto que os objetivos da Fundação persistem renovados e com força", relata o prefeito que adianta que são vários os planos de parceria que a gestão do município pretende realizar com a instituição como é o caso do projeto CICLOS - Parque Tecnológico de Reciclagem Popular de Minas Gerais, que, segundo o prefeito, "vai trazer um benefício muito grande não só a área financeira, como a área pedagógica e na área de turismo, para Esmeraldas".

 Márcio Belém - Prefeito de Esmeraldas

Outra grande parceria de atuação nos municípios é realizada com a equipe do Projeto Rondon Minas, que atua nos territórios do estado através da intervenção realizada com estudantes de diversas universidades públicas e particulares, cujo objetivo é trabalhar com as populações vulneráveis e colaborar na solução dos problemas locais. Em 2017 o Rondon Minas começou uma parceria com a FUCAM, desenvolvendo ações em Buritizeiro, Esmeraldas Januária, Juvenília, São Francisco e Riachinho, que deram origem aos relatórios com diagnósticos entregues a FUCAM e as prefeituras municipais. Segundo a coordenadora do projeto, Mônica Abranches, a FUCAM e o RONDON Minas tem objetivos comuns que é a educação, a cultura e a geração de renda, o que fortalece esse encontro. "Sem dúvida é uma parceria bem interessante porque os técnicos que trabalham na FUCAM são muito bons, bem formados para atender essa questão do atendimento às famílias e as demandas do Norte de Minas e junto com os universitários, fazemos um trabalho importante de atendimento as comunidades. A FUCAM é um legado para a sociedade, uma metodologia, um projeto muito interessante, que precisa ser replicado, que precisa ser melhorado para existir muitos anos mais", comenta a coordenadora do Rondon Minas.

A coordenadora Mônica Abranches com parte de sua equipe do RONDON Minas

Direitos Humanos: Uma bandeira que a FUCAM acena com força nesta gestão

Os direitos humanos está atrelado a história da FUCAM. Desde o início a atual gestão, a Fundação firmou o compromisso de atuar em convergência com as pautas sociais. Em um emaranhado cultural tão rico, que recebeu alunos vindos de diferentes partes do país, carregando com eles seus costumes, experiências e também violações dos direitos, ter como parceira a Secretaria de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (SEDPAC) foi um grande avanço para o público atendido nos territórios onde estão os Centros Educacionais. 

Segundo o ex-secretário da SEDPAC, Nilmário Miranda, "a FUCAM é uma instituição de direitos humanos que dá uma formação integral que trabalha com as pessoas independente de cor, de condição social" e que luta contra a opressão contra as mulheres, o racismo, a homofobia e o preconceito social, completa Nilmário.

Nilmário Miranda - Ex-secretário da SEDPAC 

Uma das bandeiras que foi levantada durante a comemoração dos 70 Anos foi a transfobia, através da apresentação da ex-aluna Lara Madonna Volguer Estrela. Nascida em Tucuruí, no Pará, Lara chegou na FUCAM em 1996 e permaneceu até 2001. Lara foi a primeira ex-aluna travesti a se assumir na FUCAM e em 2005 passou a se engajar na causa LGBTQIA e de lá para cá ela mesmo reconhece que muita coisa mudou na instituição e integrar a programação do evento que comemora o septuagenário da Fundação representa um avanço. "Essa experiência para mim, enquanto mulher trans travesti, foi uma experiência inesquecível. A FUCAM, para mim, representa tudo. Se eu estou viva até hoje eu agradeço a FUCAM", relata Lara com orgulho ao ser a primeira travesti na história da Fundação a estar no palco da instituição. "Por mais que seja uma performance, é um ato político de existir e resistir. Nós travestis temos uma luta diária de sobrevivência. Saiu de casa já começa a violência. Então, temos que ser guerreiras.", completa a performista.

 Lara Madonna Volgue Estrela - Travesti e ex-aluna da FUCAM

A cultura afrobrasileira também integrou a programação do evento através da música, da dança e do artesanado. A ex-aluna Madu Santos, que integra a Associação Odum Orixás, que faz um trabalho de intervenção cultural como forma de resgate e afirmação da cultura africana desde 2001, realizou, junto a um grupo de 20 pessoas, o cortejo do Bloco Odum Orixás e apresentou músicas e danças que representam a riqueza da herança cultural deixada pelos negros vindos da África para a cultura brasileira. “O que eu aprendi sobre o respeito às pessoas foi na minha primeira escola que foi a FUCAM, em São Francisco. Foi daqui que eu sai, aqui que eu pude dar os meus primeiros passos na vida e eu serei sempre grata. A FUCAM pra mim é conhecimento, aprendizado”, se emociona Madu ao relembrar sua trajetória como aluna na Fundação.

 Madu Santos - Ex-aluna e integrante do Odum Orixás

 A ex-aluna Madu Santos durante a apresentação do Bloco AfroDum

Em novembro de 2017 a FUCAM e os integrantes do Odum Orixás realizaram sua primeira ação em parceria com a FUCAM, através do projeto Raízes de Buriti - Conexão e Ancestralidade em Quilombos do Sertão Mineiro. Uma ação que colocou os estudantes atendidos pelo Polo de Educação Integral e Integrada da FUCAM de São Francisco em contato com a cultura afrobrasileira através de oficinas e com os moradores do Quilombo Buriti do Meio, ao realizar atividades de integração entre os estudantes e a comunidade.

Caiomartinianos que estão fazendo história pelos "recantos do país"
Eles se reconhecem como "caiomartinianos". Os ex-alunos que passaram pelas “Escolas Caio Martins”, nome dado aos Centros Educacionais da FUCAM no passado, passaram a trilhar caminhos diversos, sejam eles na educação, na militância política ou a frente de instituições e órgãos importantes de Minas Gerais e do Brasil. Um deles é o atual diretor da Escola de Saúde Pública de Minas Gerais, Edvalth Rodrigues Pereira, instituição pública do Governo de Minas Gerais que atua na qualificação dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde pública do estado e grande parceira da FUCAM. Edvalth lembra com orgulho do trabalho que a FUCAM fez por ele e por tantos outros homens e mulheres. "Falar da Caio Martins é uma paixão do caiomartiniano que é aquele que realmente quer que ela seja pulsante. Eu espero um futuro brilhante para essa escola", comenta o diretor da ESPMG, que completa dizendo que a FUCAM teve um papel fundamental para a sociedade ao formar pessoas que hoje estão espalhadas e atuando por todo país. 

Edvalth Rodrigues Pereira - Diretor da Escola de Saúde Pública

E não só pelo país, mas também pelo mundo os caiomartinianos já estão fazendo a diferença na história do Brasil. É o caso da ex-aluna Sônia Bone Guajajara, maranhense e indígena que hoje é uma das principais lideranças indígenas e ambientais do Brasil. A frente da coordenadoria executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Sônia é a primeira mulher a ocupar o posto nessa que é uma das principais organizações de defesa dos índios e a primeira mulher indígena a se pré-candidatar ao cargo de vice-presidente da República. De 2009 à 2017 levou denúncias às Conferências Mundiais do Clima (COP) e conquistou o direito a voz no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU). Em 2017 ela subiu no palco do Rock in Rio, a convite da cantora Alicia Keys, em defesa da demarcação de terras na Amazônia. Muitas das suas conquistas foram reconhecidas em prêmios e honrarias, como o Prêmio Ordem do Mérito Cultural 2015 do Ministério da Cultura, entregue, na época, pela então presidenta Dilma Rousseff. Com esse currículo expressivo que se torna um exemplo e estímulo para nossas crianças e jovens, ela declara que a FUCAM foi a base de construção para o seu desenvolvimento enquanto liderança. A "Caio Martins foi o pilar de tudo que eu segui na minha trajetória de luta, de movimento. Eu não tenho dúvidas que foi aqui que eu consegui adquirir uma autonomia na vida. Talvez ser a liderança do movimento indígena que eu sou hoje, foi aqui que eu consegui enxergar isso. A necessidade de ser independente, de estar a frente e liderando. Voltar a Caio Martins hoje é reviver um passado muito bom. É relembrar uma história que pra gente foi de muita luta, mas de muito aprendizado. Foi uma base para minha formação.", conta Sonia.

Sônia Bone Guajajara - ex-aluna e liderança indígena 

Contemporânea de Sonia, a outra ex-aluna da FUCAM, Stela Aparecida Abreu Santos, hoje a frente da Superintendência Regional de Ensino de Januária que é responsável por 19 municípios e o atendimento de 58.788 alunos da educação básica de 152 escolas da rede estadual, de acordo com o Educacenso / 2011, comemora o reencontro que o evento promove todos os anos. "Isso aqui é resultado de uma regimentação de forças, para reunir os mais diversos ex-alunos que passaram por essa instituição, ao longo desses 70 anos. A palavra alegria é uma palavra muito simples e muito pequena para expressar aquilo que estamos sentindo aqui”, relata a superintendente. Durante a comemoração dos 70 Anos da FUCAM, em assembleia da Associação dos Ex-alunos da FUCAM (ASSEXACAM), Stela foi eleita a presidente da associação, cujo vice-presidente é ex-aluno José Romeu Rodrigues Junior, presidente da Comissão Brasileira de Assuntos Penitenciários da ABRACRIM – Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas. Com alegria de reencontrar Sônia, ela não polpa elogios e admiração a liderança: “A gente vê nela esse espírito aguerrido, esse espírito de liderança, esse espírito de pessoa que atua na transformação do mundo, na transformação dessa sociedade onde estamos inseridos. A gente enxerga nela esse resultado de tudo aquilo que se traduz na proposta e na missão da Caio Martins", completa.

Stela Abreu - Ex-aluna e Superintendente Regional de Educação de Januária

 

 

MAIS MOMENTOS DO EVENTO:

ASCOM FUCAM
Texto: Michelle Parron Ruiz
Entrevistas: Gabi Coelho
Fotos: Agatha Azevedo