Diversidade é a palavra que resume os acontecimentos e as atrações da comemoração dos 70 anos da Fundação Educacional Caio Martins (FUCAM). Uma das novidades do carnaval de rua de Belo Horizonte em 2018, a Associação Cultural Odum Orixás apresentou seu novo projeto “Bloco AfrOdum”, que trouxe a riqueza da cultura afro-brasileira para o Palco Caio Martins no mês que marca a abolição oficial da escravidão no Brasil através daLei Áurea assinada pela princesa Isabel em 1888. 

Bloco Odum Orixás

Formado por diversos artistas, que têm entre eles a ex-aluna da FUCAM, dançarina Madu Santos, o Odum Orixás tem como tema principal a militância e a valorização das raízes afro-brasileiras. O Blodo AfrOdum tem um repertório cercado de brasilidades, as músicas “Nessa cidade todo mundo é d’oxum”, de Elba Ramalho, e “Sorriso Negro”, da sambista Done Ivone Lara”, o público se animou e se encantou com as danças e canções apresentadas no palco. Para oferecer ao público mais diversidade, a Associação Cultural Odum Orixás expôs uma barraca com doces brasileiros e africanos, acessórios e roupas de estampas afro-brasileiras.
Feira de Artesanato Odum Orixás
Feira de Artesanato Odum Orixás

Lucas Art - Artesão e integrante do Odum OrixásMadu, que estudou no Centro Educacional de São Francisco, no Norte de Minas Gerais, conta que leva para sua vida todos os ensinamentos e valores repassados para diversas gerações que estudaram na FUCAM. “Falava para os meus amigos que foi aqui que eu saí, aqui que eu consegui dar os meus primeiros passos. Me traz uma emoção muito grande, porque quisera eu que outras pessoas pudessem ter tido essa experiência que eu levo pra vida, para a minha filha e para os meus netos. Tenho certeza que a minha vida nunca vai ser a mesma”, contou a integrante do bloco AfrOdum e ex-aluna da FUCAM.
Madu Santos - Ex-aluna da FUCAM e integrante do Odum Orixás


Madu e o grupo AfrOdum durante apresentação nos 70 Anos da FUCAM
Além dessa apresentação, a Associação Cultural Odum Orixás havia realizado no
Centro Educacional de São Francisco (CESF), a ação Raízes de Buriti - Conexão e Ancestralidade em Quilombos no Sertão Mineiro, no dia 20 de novembro de 2017, data em que é comemorada a Semana da Consciência Negra. As atividades oferecidas gratuitamente nas salas e salões da instituição reuniu mais de 200 alunos do Polo de Educação Integral. Os jovens tiveram acesso aos costumes, crenças, valores, visões de mundo e toda forma de ação e manifestação cultural do povo brasileiro, que resultou em uma conexão direta com a cultura do continente africano.

As atividades oferecidas gratuitamente nas salas e salões da instituição reuniu mais de 200 alunos do Polo de Educação Integral. Os jovens tiveram acesso aos costumes, crenças, valores, visões de mundo e toda forma de ação e manifestação cultural do povo brasileiro, que resultou em uma conexão direta com a cultura do continente africano.

Texto: Gabi Coelho
Foto: Agatha Azevedo
ASCOM FUCAM