Na manhã desta quinta-feira, 28 de junho, o Norte de Minas Gerais deu passos largos rumo ao cultivo e a alimentação de qualidade para as famílias do campo. O projeto Sementes Presentes - Alimento e Trabalho no Campo, que faz parte da Estratégia de Enfrentamento da Pobreza no Campo coordenada pela Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (SEDESE) do Governo de Minas Gerais, inaugurou no município de Juvenília (MG) o Campo e Banco de Sementes Crioulas dentro da Fazenda Cantinho, da Fundação Educacional Caio Martins (FUCAM).

Agricultores e comunidade de Juvenília acompanhando o lançamento do Programa Sementes Presentes Crédito: Michelle Parron

Foram destinados 1,5 hectáres de área da FUCAM para que, nos próximos meses, a região já consiga ter acesso as chamadas Sementes Crioulas, tipo de semente que não sofre midificação genética, sendo considerada pura para cultivo. "Essas sementes vêm sendo guardadas por gerações de famílias rurais e conservam suas características originais como resistência a seca, a doença, a qualidade na consistência, na cor, colaborando para uma melhor qualidade na alimentação humana e animal", explica Robson Danilo Ferreira, engenheiro agrônomo da Emater/MG, que tem a função de prestar assistência técnica na produção.

Engenheiro agrônomo da Emater, Robson Danilo Crédito: Michelle Parron

Segundo o gerente da Emater/MG regional de Januária, Ricardo Neri, a proposta do banco é realizar o resgate desse tipo de sementes que tem maior qualidade para atender as casas de sementes e os agricultores familiares com um material mais resistente e com valor bem abaixo dos praticados pelo mercado tradicional de sementes comandados por grandes empresas no país.

Representantes SEDESE, FUCAM, Emater e SEE prestigiando amostra das Sementes Crioulas durante evento Crédito: Michelle Parron

Regiões que historicamente foram esquecidas nas políticas públicas no Estado, o o Norte e Nordeste de Minas Gerais passaram a figurar como prioridade na gestão do atual governo ao criar ações, programas e projetos em 11 Secretarias de Estado e 9 entidades parceiras cujo principal foco é combater a pobreza no campo. "São 25 instituições vinculadas e 42 duas ações estratégicas do governo, como essa, destinadas também a uma região que sempre foi a dos esquecidos", relata Rogéria Freire, assessora de projetos especiais da SEDESE, que comemora os avanços das políticas públicas para região.

Assessora de projetos especiais da SEDESE, Rogéria Freire Crédito: Michelle Parron

No atual cenário do país, Minas Gerais está fazendo um contra-ponto com a união ao implantar um projeto para resgatar sementes que vão garantir um alimento saudável e seguro, afirma o vice-presidente da FUCAM, Gildázio dos Santos. Ele faz referência ao Projeto de Lei 6.299/02, que trata do registro, fiscalização e controle dos agrotóxicos no país e que teve seu relatório aprovado na comissão especial da Câmara dos Deputados no último dia 25, seguindo para votação em plenária da Câmara. Para o vice-presidente, mesmo com a conjuntura nacional desfavorável, ações como a inauguração do banco de sementes crioulas no Norte de Minas representa muito para a região e para o estado como um todo e é de extrema importância ter a Fundação contribuindo para a realização deste projeto.

Vice-presidente da FUCAM, Gildázio dos Santos Crédito: Michelle Parron

Pensamento compartilhado também pelo anfitrião e coordenador do Centro Educacional do Carinhanha (CEC), Odálio de Souza Ribeiro, que já visualiza as contribuições que o banco e o campo vão acrescentar no aprendizado dos os estudantes do Curso Técnico em Agropecuária, realizado na FUCAM em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE). "Ter mais recursos pedagógicos para que os nossos alunos aprendam a produzir cultivos de qualidade é uma conquista para toda nossa região, que formará profissionais capacitados em práticas sustentáveis e comprometidas com o respeito ao meio ambiente", afirma Odálio.

 Coordenador do Centro Educacional do Carinhanha, Odálio Ribeiro Crédito: Michelle Parron

A próxima etapa do projeto será a de implantação do sistema de irrigação pela Emater/MG e a mobilização e organização dos agricultores familiares e coorperativas para receberem as sementes produzidas pelo banco da Fazenda Cantinho, de Juvenília. Serão selecionados 100 agricultores familiares da região que tenham perfil para multiplicadores de sementes e mudas, produtores para o consumo e agricultores experimentadores, a partir do interesse dos agricultores e condições técnicas da propriedade.

Agricultores e comunidade de Juvenília acompanhando o lançamento do Programa Sementes Presentes Crédito: Michelle Parron

Os critérios para que as famílias possam participar são: Famílias exclusivamente domicílios classificados como rurais na base do CADÚNICO; Famílias com renda máxima mensal de meio salário mínimo per capita de acordo com a renda declarada no CADÚNICO; Os domicílios que não atendem aos critérios apresentados acima serão eliminados da base de atendimento da ação em questão. Em seguida, a lista de domicílios foi organizada por ordem de prioridade, obedecendo aos seguintes critérios: Domicílio quilombola; Domicílio indígena; Demais domicílios classificados como tradicionais pelo CADÚNICO (assentados, agricultores familiares); Faixas de renda (domicílios com as menores rendas são classificados como domicílios mais prioritários).

A implantação do Banco e Campo de Sementes Crioulas é uma realização do Governo de Minas Gerais, através do Centro Educacional do Carinhanha da FUCAM, SEDESE, Emater/MG e com apoio da Prefeitura de Juvenília.

Representantes da SEDESE, FUCAM, Emater e a comunidade Crédito: Michelle Parron

Coordenadores dos Centros Educacionais e os idealizadores do projeto reunidos no prédio do Banco de Sementes Crédito: Michelle Parron

Texto e fotos: Michelle Parron
ASCOM FUCAM