No dia 10 de dezembro estudantes e profissionais voluntários do projeto RONDON Minas desembarcaram nos centros educacionais da Fundação Educacional Caio Martins (FUCAM) em Januária, Juvenília, São Francisco e Buritizeiro, municípios do norte de Minas Gerais, para dar início a última fase do ciclo de ações iniciado em julho de 2017.

Criado em 1966 e desenvolvido pelo Ministério da Defesa em parceria com governos estaduais, municipais e Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas, o Projeto RONDON contribui para a formação do jovem universitário como cidadão e para o desenvolvimento sustentável nas comunidades carentes. Em Minas Gerais, o RONDON Minas atua há 12 anos e sua parceria com os centros educacionais da FUCAM teve início em 2017.

Estudantes e profissionais partem de Belo Horizonte rumo ao norte de Minas Gerais.

Preparação dos estudantes

Para entender como funciona o projeto, primeiro é preciso saber que o trabalho com os estudantes começa bem antes da atuação em campo. Até desembarcarem nos municípios são realizadas algumas etapas de preparação. Na primeira é realizado o contato com o município. Na segunda é feita a seleção e capacitação das equipes de trabalho formadas por estudantes e coordenadores. Na etapa seguinte é feita a organização da logística e o planejamento das equipes. Após essas etapas é iniciada a atuação em campo dos voluntários que se deslocam aos municípios, permanecendo por um período de 15 dias.

Capacitação dos voluntários do RONDON Minas

 

RONDON Minas na FUCAM

Atualmente o projeto está na fase do trabalho de campo, finalizando um ciclo que começou em julho de 2017 em parceria com a fundação. Os voluntários, entre eles 56 estudantes e 8 coordenadores, estão atuando nos municípios de Buritizeiro, Januária, Juvenília e São Francisco e permanecem nos territórios até o dia 22 de dezembro.

“Dessa vez estamos atendendo, prioritariamente, os distritos rurais e comunidades quilombolas que pertencem a esses municípios, realizando atividades na área do empreendedorismo, incentivo ao turismo, gestão de resíduos sólidos, revitalização do rio São Francisco, formação de juventudes e o combate a violência doméstica”, explica Mônica Abranches, coordenadora do RONDON Minas  
Visita ao distrito de Lote Grande

Intervenção no posto de saúde de Juvenília (MG)

Maria Gorete Carvalho, assistente social e uma das voluntárias que está na equipe, explica que o papel realizado pelos universitários nas comunidades promove benefícios a uma população muito vulnerável, por promover um trabalho com a auto-estima e, consequentemente, valorizar o ser humano. “O projeto nos leva a uma experiência fantástica de poder mudar uma situação em uma cidade, comunidade ou grupo. O que mais me marcou até hoje foi ver como ainda existem pessoas sem acesso a coisas simples como infraestrutura urbana, por exemplo”, relata a voluntária.

Rondonistas visitam comunidades em Buritizeiro

Doação de cestas básicas para famílias carentes do norte de Minas Gerais

Laura Ribeiro Melo (20) é estudante de Relações Públicas, sempre gostou de atuar em atividades sociais e pela primeira vez é voluntária no projeto. “Pra mim a importância RONDON é exatamente essa troca cultural, de conhecimento e aprendizado. São jovens de várias faculdades e áreas diferentes que vão para um lugar viverem juntos durante 15 dias e realizarem intervenção na comunidade”, explica a estudante que completa que o contato direto com a comunidade é algo que contribuiu para o seu crescimento tanto pessoal quanto profissional.

Um dos produtos que é resultado da atuação dos voluntários do RONDON Minas nos municípios é o diagnóstico, que integra o Relatório de Trabalho de Campo, e que traz informações sobre a saúde, a educação, a administração e as finanças, o esporte, a agricultura, o meio ambiente, a ação social, as obras, o transporte e a cultura. Ao finalizar o relatório, o documento é entregue oficialmente a prefeitura municipal, transformando-se em um material que traz informações úteis para administração pública local. Em novembro de 2017 as cidades de Buritizeiro, Esmeraldas, Januária, Juvenília, São Francisco e Riachinho, onde estão as unidades da FUCAM. receberam a documentação produzida pelo projeto.

Atividades com alunos do Polo de Educação Integral e Integrada da FUCAM em São Francisco

A parceria da fundação com o RONDON Minas proporcionou benefícios que vão além dos muros da instituição, fazendo com que ela expandisse o seu papel com a comunidade onde ela está inserida ao viabilizar meios para que o trabalho de campo do projeto pudesse ser realizado. “O grande impacto dessa parceria foi a ampliação do trabalho a ponto de atender não apenas a cidade, mas também as comunidades mais distantes e municípios vizinhos das seis cidades onde atuamos com nossos centros educacionais”, comemora Gildázio dos Santos, presidente da FUCAM.

De acordo com a coordenação do RONDON Minas em apenas um município é possível impactar 20% da população. Um número comemorado pelo presidente da FUCAM, que vê na parceria retornos muito positivos. “Eu estou extremamente satisfeito por conseguir fazer com que o trabalho da FUCAM pudesse atender uma população presente nestes municípios que nem imaginávamos atingir. E essa expansão foi ampliada graças ao RONDON Minas.”

O presidente da FUCAM Gildázio dos Santos com a equipe da FUCAM e a coodenadora do RONDON Minas, Monica Abranches
Outro fator importante, fruto do resultado da parceria entre a fundação e o projeto, é a troca de conhecimento e de tecnologias. Os voluntários, além da realizar pesquisas, promovem atividades de interação com a população, envolvendo esporte, cultura, saúde e assistência social.
Para a próxima gestão do Governo do Estado, o desejo tanto do projeto RONDON Minas quanto da FUCAM é que sua atuação possa ser ampliado, atingindo ainda mais municípios que configuram no mapa com baixo Índice de Desenvolvimento Humano em Minas Gerais.

Equipe do RONDON Minas em Buritizeiro (MG)

Equipe do RONDON Minas em São Francisco (MG) 

Equipe do RONDON Minas em Juvenília (MG) 

Equipe do RONDON Minas em Januária (MG)

Texto: César Reis
Fotos: RONDON Minas
ASCOM FUCAM