A Fundação Educacional Caio Martins (FUCAM) realizou a oficina “Construindo o Centro de Referência de Empreendimentos Populares Sustentáveis (CREPS)” na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, em Belo Horizonte, no dia 09 de julho de 2019.

A oficina teve como objetivo apresentar o pré-Projeto do CREPS, elaborado pela FUCAM, para conhecimento e construção coletiva com os representantes governamentais e organizações da sociedade civil.

Presidente da FUCAM Alvimar Tito Apresentando o projeto para os convidados

O CREPS se constitui em espaço multifuncional público, de caráter comunitário, para articular oportunidades de geração de renda, fortalecimento e promoção do trabalho individual e coletivo, além de oferecer formação, qualificação profissional, apoio e assessoria ao público e fortalecer empreendimentos já criados, sempre com foco nas pessoas do campo em situação de vulnerabilidade.

Léa Braga, Diretora de Educação e Assistência da FUCAM ressalta que “os CREPS irão viabilizar oportunidades de trabalho e renda para as populações mais vulneráveis do campo; fomentar a comercialização de produtos e serviços; construir relações de redes e cadeias produtivas e impulsionar o desenvolvimento local sustentável”.

Lea Braga Diretora de Educação e Assistência da FUCAM

Com o apoio da Superintendência Central de Políticas de Recursos Humanos da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, a oficina utilizou a metodologia do worldcafé, um processo de diálogo em grupos, com enorme interação entre os participantes, cujos relacionamentos complexos e não lineares trazem resultados sistêmicos e emergentes.

Os participantes da oficina foram divididos em diversas mesas e conversaram em torno de perguntas centrais. O processo foi organizado de forma que as pessoas circularam entre os diversos grupos e conversas, conectando e polinizando as ideias, tornando visível a inteligência e a sabedoria do coletivo. Ao final do processo fez-se uma partilha das percepções e aprendizados coletivos.

 Participaram da Oficina as organizações governamentais e Sociedade civil: Conselho Estadual de Economia Popular Solidária – CEEPS, Projeto Cidadania Ribeirinha (ALMG), Projeto RONDON, SEDESE/SUBAS, SEDESE/ Sup. Integração, IDENE, Secretaria de Estado da Agricultura/Pecuária e Abastecimento SEAPA, Secretaria de Estado da Educação – SEE, Fundação Helena Antipoff, Secretaria de Desenvolvimento Econômico-ITCP, Emater e o Instituto Federal Norte de MG IFNMG, Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável –INSEA, Associação ex.servidores FUCAM, Coopersol/MNCR e Coopersoli/Rede Sol. Participaram também os coordenadores dos seis Centros educacionais da FUCAM.

Quadros com as respostas dos grupos

 Segundo Neli Medeiros, A oficina foi ótima! Com uma metodologia muito boa, que deu condições de participação de todos, ela enfatiza dizendo “Quanto ao CREPS, o nome é fácil de guardar, Centro de Referência Economia Popular Solidária, será um espaço que atenderá o público alvo que é o de baixa renda, que pratica a economia solidária entre si e não sabe, e com as oficinas, formações, capacitações, vão conseguir alcançar a renda. Espero que ele atenda também a área urbana, por que temos muita demanda de formação para áreas carentes com encaminhamento para geração de trabalho e renda! Que os oficineiros possa ser mão de obra também dos que já praticam a economia solidária.”

 

ASCOM FUCAM

Texto: Cesar Reis