Grupo de Trabalho Coco da Macaúba

Ocorreu no dia 26 de agosto de 2019, na Fundação Educacional Caio Martins (FUCAM), em Belo Horizonte/MG, a segunda reunião do grupo de trabalho do Coco da Macaúba.

A reunião contou com a presença de representantes da FUCAM, INSEA, SEAPA, SEDESE e IDENE, que discutiram as estratégias do grupo e elaboraram um esboço do plano de trabalho, que será finalizado e validado nos próximos dias.

O grupo de trabalho se formou após o Seminário Regional sobre o potencial de desenvolvimento do cultivo e extrativismo do Coco Macaúba, promovido pelo INSEA e realizado no Centro Educacional FUCAM de Esmeraldas em maio de 2019, com o propósito de gerar oportunidades de trabalho e renda às pessoas em situaçao de vulnerabilidade social, promover o desenvolvimento regional e apoiar o desenvolvimento de energia limpa.

Na segunda reunião foram definidas as principais ações que o grupo pretende abordar no decorrer do trabalho, sendo elas: elaborar o modelo econômico da exploração da macaúba em Minas Gerais; sensibilizar o governo para a possibilidade de desenvolvimento de produtos sustentáveis e geração de trabalho e renda a partir desse fruto e propor ações para execução da política de incentivo ao cultivo, extração, comercialização, consumo e transformação da macauba, instituída pela Lei estadual n. 19.485/2011.

Alvimar Tito, presidente da FUCAM, ressalta que a atuação articulada entre órgãos e entidades da administração pública estadual e organizações da sociedade civil pode viabilizar e incentivar a exploração econômica de produtos e subprodutos do coco macaúba, possibilitando trabalho e renda, especialmente para as pessoas mais vulneráveis do campo. O trabalho do grupo objetiva a estruturação da cadeia produtiva da macaúba, desde o apoio a formação de empreendimentos, cooperação dos diversos interessados da cadeia e desenvolvimento de equipamentos especializados e de canais de comercialização.

ASCOM FUCAM

Texto César Reis