Uma das importantes diretrizes de governo, consubstanciada no Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado 2019-2030, que a Fundação Educacional Caio Martins (FUCAM) vem implantando, é a captação de recursos e parcerias com outros poderes, entes da federação, entidades privadas e do terceiro setor para viabilização de seus projetos.

Em 2019, parte da equipe da FUCAM se qualificou na metodologia utilizada pelo Governo Federal para repasse de recursos, especialmente os de emendas parlamentares, e, a partir de uma atuação articulada com a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (SEPLAG), foi possível a captação de 112,79% do valor liberado para a FUCAM, após o Plano de Contingenciamento de Gastos do poder Executivo

Alvimar José Tito, Presidente da Fundação, atribui tal fato ao grande apelo social dos projetos desenvolvidos pela FUCAM, voltados às pessoas vulneráveis do campo e alinhados às políticas públicas de Educação, Trabalho, Emprego e Renda e Agricultura Familiar, bem como ao empenho da equipe, que tem se valido das metodologias adotadas pelo Estado de forma primorosa.

Transferências da União – novo modelo de gestão

O Governo Federal desenvolveu o Modelo de Excelência em Gestão (MEG-Tr), que tem como objetivos contribuir com o aumento da maturidade de gestão e governança no âmbito dos órgãos que operam recursos oriundos das transferências da União e aprimorar a efetividade na entrega de valor público à sociedade brasileira. Assim, a partir de 2020, para que os órgãos e entidades, a exemplo da FUCAM, possam receber recursos federais, deverão aderir ao MEG-Tr.

Roberta Figueiredo, Diretora de Planejamento, Gestão e Finanças e responsável pela implantação do MEG-Tr na Fundação, esclarece que sua aplicação neste primeiro momento consistiu em avaliar a FUCAM sob sete fundamentos – Governança, Estratégias e Planos, Sustentabilidade, Compromisso com as Partes Interessadas,Capital Intelectual, Orientação por Processos e Geração de Valor Público para as partes interessadas.

MEG-TR

“Os resultados obtidos foram muito satisfatórios, em 100 pontos distribuídos na avaliação, a FUCAM alcançou a nota de 95,4”, ressalta Roberta. “Isto se deu, principalmente, em função da reorganização feita na Fundação, como elaboração da identidade organizacional e objetivos estratégicos, mapeamento de processos, implantação da Oficina de Construção de Saberes, entre outras iniciativas”, continua a diretora.

No atual contexto da pandemia, com restrições orçamentárias ainda mais duras, Alvimar Tito lembra que “a implantação do MEG-Tr na FUCAM será fundamental para recebermos recursos financeiros federais e conseguirmos dar materialidade aos nossos projetos.”